Postagens

Mostrando postagens de 2012
A Autoestima da pessoa com deficiência. Existem duas formas de ser uma pessoa com deficiência:congênita ou adquirida. Para a pessoa que nasce com a deficiência,a socialização ocorre conforme seu desenvolvimento,as amizades,relacionamentos são construídas com a inclusão da deficiência. Quando a deficiência é adquirida,ou seja,depois de terem construído suas relações dentro do contexto onde não havia essa condição,será preciso construir novos padrões de relacionamento. Em um mundo que estipula o belo como “perfeito”,a deficiência pode se tornar uma marca de exclusão dos conceitos estéticos de beleza,e um dos primeiros impactos diante de uma deficiência é sobre a autoestima. A inclusão de uma pessoa com deficiência no mercado de trabalho,na luta pela vida,e no prazer de viver está instrínsicamente ligada à forma como ela se enxerga,como se considera bonita,forte e flexível. Creio que a autoestima é importante para todos,precisamos nos considerar as pessoas mais “importantes”do mundo para conse…

Uma grande preocupação atual o limite...

Imagem
A imposição moral e ética

Yves de La Taille, psicólogo especializado em desenvolvimento moral, fala sobre como, apesar da crise por que passam, sobretudo na família e na escola, a moral e a ética continuam a ser pontos fundamentais na educação e desenvolvimento das crianças. Educar. Palavra de apenas seis letras que traz consigo um amplo leque de responsabilidades que deixa qualquer pai ou educador que se proponha à árdua tarefa de ensinar uma criança a trilhar os caminhos do mundo inseguro. A violência, a falta de respeito e o individualismo — algumas das marcas registradas dos dias atuais — levantam questões sobre como andam e como transmitir dois conceitos fundamentais da boa educação e do convívio social: a moral e a ética.
Para Yves de La Taille, professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, a situação do mundo hoje é paradoxal. “De um lado, verificamos um avanço da democracia e do respeito aos direitos humanos. Mas, de outro, t…

Síndrome de Down...

Imagem
Notícia do Portal Terra - precisamos perceber que ser diferente não é ser incapaz!!!

Aprovado no vestibular, 1º aluno com Down da UFG rompe preconceito
23 de fevereiro de 2012 19h19


Kallil comemorou a aprovação ao lado da irmã, Kamilla Assis Tavares
Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação
Angela Chagas Ser aprovado em uma faculdade pública é um sonho de muitos jovens que se tornou realidade para Kallil Assis Tavares, 21 anos, que na próxima segunda-feira começa a estudar geografia no campus de Jataí da Universidade de Goiás (UFG). Para a instituição, a conquista de Kallil é ainda mais importante e precisa ser reverenciada, já que ele é o primeiro aluno com Síndrome de Down a ingressar na universidade. "Isso demonstra que nós estamos conseguindo superar o preconceito, que infelizmente ainda existe em nossa sociedade", afirma a coordenadora do Núcleo de Acessibilidade da UFG, professora Dulce Barros de Almeida.
Kallil não teve correção diferenciada, concorreu de igual para igual com …